Mulher Atleta

31 de outubro de 2010

Voleibol: Brasil joga solto, vence a Holanda e garante classificação para a segunda fase.

Seleção brasileira permanece invicta. Próximo jogo será na madrugada desta terça, contra Porto Rico

Foto: FIVB
Passada a ansiedade demonstrada nos dois primeiros jogos do Campeonato Mundial, o Brasil voltou a ser o Brasil. Com ótima atuação, a seleção feminina de vôlei garantiu a terceira vitória na competição ao superar a Holanda por 3 sets a 0 (25/19, 25/18 e 25/14), em 1h11, neste DOMINGO (31.10), na Hamamatsu Arena, no Japão. Com o resultado, o time do técnico José Roberto Guimarães garantiu a classificação antecipada para a segunda fase do torneio.

A Itália, que derrotou o Quênia por 3 sets a 0 (25/9, 25/7 e 25/21), também assegurou vaga na próxima etapa do Mundial. Holanda, República Tcheca, Porto Rico e Quênia lutam pelas duas vagas restantes no grupo B.

Depois dos jogos contra quenianas (3 sets a 0) e tchecas (3 sets a 2), em que o Brasil venceu, mas não convenceu, a seleção sobrou em quadra e conseguiu uma vitória incontestável sobre as holandesas. Zé Roberto não poupou elogios à equipe após a partida.

"Fizemos um grande jogo. Hoje tudo funcionou bem. Tivemos um bom saque e o bloqueio também teve uma participação extremamente importante. Foram 14 pontos neste fundamento, fora as bolas que foram amortecidas e que nos permitiram contra-atacar com eficiência. Nos preparamos muito para este jogo. A Holanda é uma grande equipe. Tudo o que foi treinado e programado foi bem feito e conseguimos uma excelente vitória", comentou o treinador.

"Nesta primeira fase, focamos a preparação na Holanda e na Itália, nossos adversários mais fortes. Ontem fomos surpreendidos. Não conhecíamos o time da República Tcheca. Além disso, nosso time estava tenso. Hoje tudo foi melhor porque elas relaxaram e fizeram o que sabem: jogaram voleibol com alegria. Se elas se comportarem assim sempre, tudo vai fluir. Podemos ganhar ou perder, mas a postura deve ser essa", completou Zé Roberto.

A oposto Sheilla mais uma vez terminou como a maior pontuadora do jogo, com 13 acertos - 11 de ataque, um de saque e um de bloqueio. A ponteira Natália, com 11 pontos, e as centrais Thaísa e Fabiana, com 10 acertos cada, também merecem destaque. Pela Holanda, a atacante Flier foi a que mais marcou: 12 vezes.

"Hoje o time jogou vibrando e com alegria. É esse o nosso jogo. Agora, temos que manter a concentração para as próximas partidas. No Mundial, cada vitória é importante. Temos que entrar assim contra Porto Rico e Itália", disse a campeã olímpica Sheilla.

Depois das vitorias nos três primeiros jogos, a seleção brasileira folgará nesta SEGUNDA-FEIRA (01.11) e voltará à quadra na TERÇA (02.11), às 2h30 (de Brasília), contra Porto Rico. As TVs Globo e Bandeirantes e o canal Sportv transmitem a partida ao vivo.

Zé Roberto quer encerrar primeira fase com 100% de aproveitamento
O regulamento do Campeonato Mundial diz que todas as seleções carregam para a segunda fase os resultados obtidos na primeira etapa do torneio. A pontuação final, somadas as duas fases, define a classificação para as semifinais. Por isso, para o técnico Zé Roberto, garantir a classificação antecipada para a próxima fase não é o mais importante. O que vale é manter a invencibilidade na etapa inicial.

"Garantimos a classificação, mas não é suficiente. Nosso objetivo é sair desta primeira fase sem derrota. Estamos ligados no que está acontecendo nos outros grupos. Carregamos os resultados para a próxima fase. Por isso, é importante não perder", afirmou o treinador.

Na segunda fase, a seleção brasileira enfrentará os quatro melhores times do grupo C, composto por Estados Unidos, Alemanha, Cuba, Croácia, Casaquistão e Tailândia.

Depois da conversa, vitória com alegria
Nos dois primeiros jogos do Mundial, a seleção brasileira venceu, mas esteve irreconhecível. Sem vibração, a equipe cometeu erros e não conseguiu desenvolver seu melhor voleibol. Cientes disso, a líbero Fabi e a capitã Fabiana, líderes do time, tomaram a iniciativa de marcar uma reunião com todas as jogadoras. A conversa, realizada ontem, surtiu efeito imediato. Na partida de hoje, contra a Holanda, o que se viu foi um outro Brasil em quadra: alegre, vibrante e soberano.

"Tivemos uma conversa ontem à noite. Aquele não era o Brasil. Nós sempre jogamos sorrindo, com alegria. E não foi assim nos dois primeiros jogos. Todas estavam sentindo isso. Mas a Fabiana e a Fabizinha tomaram a iniciativa de reunir todas nós para uma conversa. Foi ótimo. Acertamos tudo e hoje foi show de bola. Espero que o time continue assim para os próximos jogos", comemorou a jovem ponteira Natália, de 21 anos.

Após o jogo, "alegria" foi a palavra mais falada pelas jogadoras nas entrevistas concedidas aos jornalistas. "A equipe toda está de parabéns. O time jogou solto e com alegria. Agora sim estreamos. Dessa forma, o jogo flui e os fundamentos saem. Saque, passe, ataque, bloqueio... hoje tudo funcionou", vibrou a meio de rede Fabiana.

"O time todo jogou bem, com vibração e alegria. Fiquei muito feliz com a partida", completou a levantadora Fabíola, que entrou como titular da equipe. "Hoje eu joguei, amanhã a Dani entra e também ajuda a equipe. O importante é saber que quem estiver em quadra vai estar pronta para ajudar o time", comentou Fabíola.

Para o técnico Zé Roberto, o revezamento entre duas levantadoras jovens é natural. "A Fabíola terminou muito bem a partida de ontem. Entrou e cadenciou mais o jogo, o time ficou mais tranquilo. Hoje o passe ajudou, ela jogou muito bem e cometeu pouquíssimos erros. Mas o importante é poder contar com as duas (Dani Lins e Fabíola) em todos os momentos. São duas levantadoras jovens e que estão crescendo. Elas vão se alternar no time. É natural", concluiu.

O jogo
Superada a ansiedade, a seleção brasileira conseguiu se soltar em quadra e arrasou a Holanda no primeiro set. Eficiente no ataque e no saque, o Brasil chegou ao primeiro tempo técnico com cinco pontos de vantagem: 8/3. Muito bem também no sistema defensivo, as brasileiras ampliaram e chegaram a abrir 21/8. Depois de se irritar com as marcações do árbitro sérvio Dejan Jovanovic, o Brasil cedeu pontos à Holanda, mas fechou a primeira parcial em 25/19.

A equipe brasileira continuou melhor no segundo set e abriu 8/5 em ataque de Fabiana. O time verde e amarelo seguia superior no ataque e no bloqueio. No segundo tempo técnico, o placar apontava 16/11 para o Brasil. Donas do jogo, as brasileiras fecharam a parcial com tranquilidade: 25/18 em ataque da ponteira Natália.

No terceiro set, o panorama se repetiu. O Brasil seguia arrasador. Eficiente no saque, no bloqueio e no ataque, as brasileiras ainda contavam com as falhas no serviço holandês. O time do técnico Zé Roberto não encontrou dificuldades para definir a última parcial: 25/14 em ataque de Sheilla.

EQUIPES
BRASIL - Fabíola, Sheilla, Jaqueline, Natália, Thaísa e Fabiana. Líbero - Fabi
Entraram: Sassá e Joycinha
Técnico - José Roberto Guimarães

HOLANDA - K. Staelens, Huurman, Flier, Staelens, Grothues e Visser. Líbero - Van Tienen
Entraram: Koolhaas, Dijkema, Blom e Kruijf
Técnico - Avital Selinger

Galeria de fotos

Siga a CBV no twitter

Acompanhe os bastidores da seleção brasileira no blog

*De Hamamatsu, Priscila Carvalho

Fonte: Assessoria de Imprensa – CBV